Logo_Ultracon.jpg
+55 11 3090-0742
Av. Giovanni Gronchi, 6195
UltraCon

QUAL SISTEMA DE ERP ESCOLHER?

10/09/2020 13:46:11 Comment(s) By Antônio Morales Filho

 A utilização de sistemas ERP, em geral, está na lista de desejos dos executivos, independente do porte da empresa, mas a sua adoção não é decisão simples, em vista de tudo o que envolve a seleção e implementação desse tipo de sistema (MEDEIROS, 2007).


Temos algumas razões que levam à adoção de sistemas ERP, segundo Colangelo Filho (2001):


Negócio, motivado pela competitividade do mercado e a consequente necessidade de redução de custos e aumento, ou pelo menos, garantia da margem de lucro;


Legislação, que gera obrigações sujeitas a penalizações;


Tecnologia, que evolui constantemente, acelerando a obsolescência do parque tecnológico que a empresa tem em uso.

Há também empresas que buscam elevar o nível da informação executiva visando melhorar o processo de tomada de decisão, melhorar o controle financeiro, a gestão dos pedidos, redução do inventário e tentar estar alinhadas às exigências das empresas com as quais pretendem se relacionar (COLANGELO FILHO, 2001; LENNY KOH; SIMPSON, 2005; SUBBA RAO, 2000).


A escolha de um ERP é uma decisão complexa, tendo em vista que implica em ser assertivo na solução que seja mais aderente aos objetivos do negócio e às suas necessidades operacionais e que, ainda venha a resultar em maior controle, maior eficiência e consequentemente maior valor agregado.


Como fruto da minha experiência e de estudos que realizo tenho adotado como base o modelo proposto pelos pesquisadores Mendes e Escrivão Filho, porque o considero mais completo, por abranger a seleção,a aquisição e a implementação de sistemas ERP.


Originalmente este modelo foi proposto para pequenas e médias empresas, mas eu o considero totalmente aplicável a qualquer porte de empresa, por ser bem abrangente, cobrindo atividades que vão desde a avaliação da necessidade que a empresa tem em relação à adoção de um sistema ERP, até a sua utilização, passando naturalmente pelas atividades intermediárias, que envolvem a seleção, a implementação, a conscientização e treinamento.

Parte

Etapa

Descrição

A

Avaliação sobre a

necessidade de ERP:

consiste em analisar a

situação atual e

identificar como o

sistema pode contribuir

para solucionar seus

problemas

organizacionais.

1

Análise da situação atual

Reflete e discute sobre os pontos fortes e fracos da empresa.

2

Análise conceitual do ERP

Estudo imparcial sobre os sistemas, sem focar

uma solução específica e sem contatar consultorias.

3

Análise do ERP como

solução

Confronto conceitual e genérico do sistema com os pontos fortes e fracos da empresa.

B

Seleção e adequação:

comporta a análise e verificação da adequação de funcionalidades dos sistemas integrados às necessidades da empresa.


4

Análise dos processos da

empresa

Revisão dos processos para avaliar a necessidade

de customização, adaptações e modificações no

sistema.

5

Seleção do sistema

Análise dos sistemas disponíveis no mercado pela

avaliação de suas características técnicas.

6

Adequação

Comparação entre as funcionalidades e processos

do sistema e as necessidades organizacionais.

7

Análise de custo

Identificação dos itens de custo: customizações, consultorias, hardware e manutenção.

C

Implantação do sistema integrado: consiste em planejar as atividades de implantação e gerenciar a execução destas atividades.

8

Definição da equipe de

implantação

Constituída por funcionários experientes tecnicamente em implantação de sistemas e no negócio da empresa.

9

Planejamento das atividades

de implantação

Estabelecimento do espaço do projeto e o tempo necessário para a execução. Definição dos módulos a serem implantados, ordem de implantação, responsabilidades e planos de contingência.

10

Implantação dos módulos do sistema

Parametrização e/ou customizações, de acordo com a adequação prevista na parte B

D

Conscientização e treinamento: têm como meta reduzir a resistência e esclarecer as mudanças organizacionais introduzidas na empresa.

11

Palestras e seminários de

conscientização

Esclarecimento aos envolvidos sobre o sistema mudanças introduzidas, importância organizacional, implicações sobre má utilização e relevância do seu papel.

12

Treinamento gerencial

Para a alta administração e o corpo gerencial, focando aspectos e possibilidades gerenciais do sistema.

13

Treinamento operacional

Realizado por área da empresa, focando os módulos específicos.

E

Utilização: consiste na fase de uso do sistema ERP.

14

Identificação de modificações no sistema

Identificação de mudanças e atualizações das regras de negócio com o passar do tempo.

15

Feedback

Observação se as modificações necessárias para atender as mudanças nas regras de negócio são simples ou exigem novos desenvolvimentos com nova aplicação do roteiro.

Fonte: “Adaptado de” Mendes e Escrivão Filho (2007)

 Escrito por: Antonio Morales Filho
Professor Me. e Sócio Diretor da Empresa UltraCon - Consultoria em TI.
Acesse: www.ultracon.com.br.

Share -